Juninho, com toda parcialidade que me cabe

Vocês sabem que evito inflamar paixões aqui no blog e que raramente falo do Vasco para não tornar este espaço uma coisa que ele não é. Mas desta vez, me perdoem, vou quebrar o protocolo… afinal, como é que eu poderia ignorar o retorno do Juninho Pernambucano?!?

E como poderia falar sobre isso sem ser passional? Não dá olhar para essa foto sem lembrar todas as alegrias que esse cara me proporcionou. Ver o Reizinho vestindo novamente esta camisa me deixou tão emocionada que vou correr o risco de desagradar os leitores e até de receber comentários malcriados. Mas sei que isso não vai acontecer.

Todo mundo que entra aqui é torcedor, gosta de futebol e ama de verdade algum clube. E esse tipo de gente entende o que é o sentimento de ver um de seus maiores ídolos declarar amor verdadeiro ao seu clube do coração – a ponto de abrir mão de salário, projeto de marketing, patrocínio ou que seja, pelo prazer de retornar ao clube onde foi ídolo.

O Juninho não reacendeu só o orgulho dos vascaínos. Ele recuperou algo que estava perdido no futebol, escondido atrás de negociações com cifras altíssimas: o amor à camisa. Tanto que já ouvi elogios à sua postura de torcedores de diferentes bandeiras. É claro que também já ouvi teorias da conspiração – “isso é jogada política do Dinamite”, “sonegação de impostos”, blá, blá, blá. Mas essas cornetadas não me interessam!

O Reizinho de São Januário está voltando para casa. Para a nossa casa! Dele, minha e de toda a torcida vascaína. Mais do que isso, está dando um exemplo às atuais e futuras gerações de jogadores – e também a empresários e clubes. As demonstrações de carinho da torcida pelo jogador já estão comovendo até quem só o viu jogar pelo Youtube. E isso, hoje em dia, é mais raro do que gol de letra!

Se ele não render tudo o que a gente espera, paciência. A torcida vai precisar ser, no mínimo, compreensiva. Afinal, além da questão do salário e da sincera declaração de amor ao Vasco, o Juninho está mostrando vontade de fazer diferença. Já pediu bola do Brasileiro para treinar, trocou e-mail com o preparador físico, quer amistosos antes da sua estreia para manter a forma… enfim, está fazendo de tudo para retomar o trono que é seu em São Januário. Então, venha tranquilo, Reizinho, porque teus súditos te receberão de braços abertos.

Anúncios