Tagged: seleção brasileira Toggle Comment Threads | Atalhos de teclado

  • Menina da arquibancada 19:56 on 04/02/2012 Permalink | Responder
    Tags: adidas, nike, seleção brasileira, uniformes   

    Novas camisas da seleção brasileira 

    A Nike, mais uma vez, foi muito criticada pelo novo uniforme da seleção brasileira. Depois do modelo com a tarja no peito, a marca apostou em mangas com bordas grossas na cor verde e gola em formato V, também verde. Na minha opinião, o lançamento é melhor do que a última camisa mas mantém a mesma proposta, apenas mudando o local de aplicação da tarja (nas mangas, em vez do peito).

    Novas camisas da seleção brasileira: muitas críticas da torcida

    Acho que o time do Brasil merecia uma dose a mais de criatividade por parte da patrocinadora de material esportivo.  A nova camisa da seleção brasileira é muito parecida com a lançada pelo Internacional, relembrando o modelo usado no título Mundial de 2010.

    Enquanto isso, a Adidas lançou camisas com a logo da Copa das Confederações 2013. Se for uma prévia dos uniformes das seleções patrocinadas pela marca, podemos esperar as tradicionais três listras trabalhadas em modelos diferentes dos usados na Copa do Mundo de 2010. Normalmente, gosto muito do material da Adidas que consegue explorar formatos modernos sem perder a tradição do seu símbolo.

    E vocês, preferem qual marca?

    Lucas, jogador do São Paulo, apresenta camisas da Adidas

     

    Update

    A criatividade que faltou à Nike na confecção dos modelos, sobrou no designer da embalagem da nova camisa do Internacional. Agregou MUITO valor ao produto!


     
    • Daniel Pilavjian 17:08 on 21/04/2012 Permalink | Responder

      Prefiro muito mais a Adidas, além de ser muito mais durável…

  • Menina da arquibancada 17:39 on 05/07/2011 Permalink | Responder
    Tags: copa américa, , , seleção brasileira, ,   

    Marta x Robinho, Neymar, Daniel Alves… 

    Diz muito esta charge publicada hoje no Jornal O Globo, do Rio de Janeiro. A ironia do título “Sem palavras” foi uma grande sacada de Chico Caruso.

    É verdade que a nossa seleção feminina não tem feito grandes partidas na Copa do Mundo, mas tem conseguido resultados melhores do que a seleção masculina na Copa América.

    Esta semana, os dois times entrarão em campo novamente: as meninas, quarta-feira, às 13h; os rapazes, no sábado, às 16h. Quem vocês acham que vai se sair melhor?

     
    • André 11:20 on 09/07/2011 Permalink | Responder

      Parece que a cada ano que passa esse título da seleção feminina no mundial é ainda mais importante para o futebol feminino. Não quero dizer que “elas” tenham que provar alguma coisa a quem quer que seja, mas é que dessa vez nem o mérito das jogadoras em relação aos jogadores não é tão prestigiado pelo país. Lembrando que ano que vem tem olympiada também!

  • Menina da arquibancada 12:19 on 19/06/2011 Permalink | Responder
    Tags: , , seleção brasileira,   

    Entrevista com Juliana Cabral, ex-zagueira da seleção feminina 

    Atualmente comentarista da Rede TV, no programa Belas na Rede, Juliana Cabral já tinha seu nome associado ao futebol feminino antes mesmo de ganhar a prata olímpica com a seleção, em Atenas. Ex-zagueira do Sport e do Corinthians, Juliana concedeu entrevista ao blog Pitaco Feminino.

    Ela lembrou o ínicio da sua relação com a bola, quando jogava com o irmão e os amigos – a contragosto da mãe – e falou sobre o fim da carreira, considerado precoce por muitos. Juliana também comentou a situação atual do futebol feminino no Brasil e a (má) preparação da seleção brasileira para o Mundial da Alemanha, que começa dia 26/6.

    “É uma seleção muito jovem, com algumas jogadores experientes, e que sofre com a falta de preparação para a competição. São poucos torneios disputados, quase nenhum amistoso com potências do cenário do futebol feminino e o curto tempo de preparação. Enfrentaremos seleções que estão acostumadas a jogarem entre si, com mais de 50 jogos amistosos, talvez – sem incluir número de jogos de torneios e seleções que muitas vezes são permanentes. Ou seja, se preparam o ano inteiro. Assim que acaba uma competição já começam a se preparar para outra, não esperam chegar o ano da competição.”, lamentou a ex-zagueira.

    Confira a entrevista da íntegra

     
    • André 13:35 on 19/06/2011 Permalink | Responder

      Olá Mariellen

      É possível imaginar a desilusão da Juliana com o tratamento que o futebol feminino recebe no Brasil, ja que ela falou do sonho de ser vista pelo pai na principal categoria do futebol. Além do sonho de jogar futebol e ter chegado tão longe. O que revolta é o contraste de um país que se diz “do futebol” e na prática não é bem assim.

      Por falar em contrate, nos EUA este esporte é considerado de mulher!
      Sobre o comentário de que a rede tv estaria interessada em transmitir o futebol feminino não deixa de ser um avanço, mas não sei se é possível esperar muito dessa oportunidade. Isso porque a qualidade dos comentaristas para o F.F é deprimente! A exemplo do Neto, que é da band, a forma como se narra/comenta o jogo é chato. Por exemplo, se uma atleta fizer uma jogada extraordinária, logo será comparada a jogadores, no sentido de que elas não tem méritos próprios. Ou seja, só é considerada um boa atleta se for do mesmo nível de x jogador. Pelo menos eu interpreto dessa maneira.

      Uma jogadora chamada Gláucia do Clube Atlético, que participa do campeonato paulista, fez um belo gol de bicicleta no último fim de semana. Foi a primeira vez que vejo esse tipo de jogada feita por uma mulher. Que fique o registro desse feito. Falta uma semana para a copa.
      Boa sorte para a Juliana e parabéns pela determinação no futebol. É de pessoas como ela que o esporte (em geral) precisa: uma pessoa que ama o que faz / faz por amor.
      tchal

  • Menina da arquibancada 21:34 on 15/06/2011 Permalink | Responder
    Tags: , , , seleção brasileira, ,   

    Brasil x Argentina nem sempre é clássico 

    A nuvem do vulcão chileno Puyehue-Cordón Caulle impediu a realização do jogo entre as seleções femininas de Brasil e Argentina. O clássico seria realizado nesta quinta-feira, 16/6, em Pernambuco. Mas este jogo seria realmente um clássico?

    Muitos diriam que uma disputa entre brasileiros e argentinos é clássico até em cuspe à distância. Eu discordo. Quando se trata de futebol feminino, Brasil e Argentina estão em patamares absolutamente diferentes. Vamos aos dados…

    A Argentina, 33ª colocada no ranking da FIFA, conquistou apenas um título em toda sua história (Copa América 2006) e não chegou perto de se classificar para o Mundial da Alemanha. As hermanas, aliás, participaram de somente duas das sete edições da Copa do Mundo Feminina – e em ambas foram eliminadas na primeira fase sem marcar pontos.

    Fora o fato de contar com a melhor jogadora de todos os tempos, a seleção brasileira ainda carrega uma bagagem respeitável de títulos (por exemplo, TODAS as demais Copa América!). Não à toa, o Brasil é terceiro colocado no ranking da FIFA e um dos favoritos ao título mundial que começa no próximo dia 26. Estivemos em cinco Copas do Mundo, duas delas chegando à final – assim como em duas decisões olímpicas.

    Portanto, você que tem ingresso para ir ao Arruda, aproveite. Afinal terá a oportunidade de ver, ao mesmo tempo: 1) a Marta;  2) uma das melhores seleções femininas do mundo; e 3) promessas do nosso futebol feminino que atuarão pela seleção de Pernambuco, adversária do Brasil no lugar da Argentina.

    Entenda que a CBF deu à nossa seleção feminina uma das piores estruturas pré-Copa do Mundo de que se tem conhecimento. Este Brasil x Argentina foi uma manobra para atrair público e mídia, numa tentativa de mascarar que as meninas estão indo para o Mundial com mais raça e talento do que preparo. Para mim, foi uma doce ironia este pseudo-clássico não acontecer. Pelo menos, todas a jogadoras em campo serão brasileiras e o nosso futebol feminino terá raros 90 minutos de visibilidade rede nacional de TV aberta, no horário nobre. O jogo entre Brasil e Seleção de Pernambuco será transmitido pela Band, a partir das 21h45.

     
    • André 19:24 on 16/06/2011 Permalink | Responder

      Oi Mariellen

      Curiosamente na última copa, a Argentina pegou de cara a Alemanha, que foi impiedosa com a seleção latina. Lembra? Foi 11 a zer0! Imagina se as germânicas pegarem a Colômbia!
      Eu gostaria de ver um jogo contra as argentinas (quem sabe não teria uma argentina bonita, mas boa de bola? rsrsrs – vc deve estar pensando: esse André!)
      Uma seleção que eu gostaria muito de ver o Brasil jogar é com Portugal. Brasileiras VS Portuguesas.

      Vendo o Wikipedia, na pesquisa “Copa do Mundo de Futebol Feminino de 2011”, tem uma relação de seleções e suas participações nas copas, onde diz que o Brasil participou de 6. Nesta pesquisa também mostra os estádios que serão usados nos jogos. Belos!

      Sobre o preconceito que vc falou de um grande patrocinador não investir no futebol feminino por esta modalidade ter um grande estigma, veja o caso do edimundo! Ele tem um grande estigma! Nem por isso foi discriminado. Pelo contrário! Apesar da atitude agressiva, estava ele lá em campo. Eu acho Mariellen que é a cultura do machismo mesmo (e lucro claro) que insiste em imperar nesse esporte, não apenas no Brasil – como se isso servisse de consolo. Por isso é tão dificil o futebol feminino ter visibilidade, principalmente respeito.
      Faltam 10 dias para a copa!
      tchal

    • phany 14:18 on 16/06/2011 Permalink | Responder

      Até que fim alguém falando sobre a copa do mundo de futebol feminino!!! Será que o resto do país sabe que existe um time de futebol feminino, e que vai ter uma copa esse ano? Nossa às vezes da certa raiva da CBF que não da o merecido apoio a nossa seleção feminina.
      Eu vejo a enorme diferença relacionada ao futebol. Sendo uma ultima palavra colocada após futebol (feminino) que indica o tipo de visibilidade e apoio, que terá a jogo.
      Pois bem o Brasil não é o país do futebol? Não deveríamos então pensar apenas na partida e dar o mesmo tratamento. Eu vejo dizerem que o futebol masculino é muito disputado, muito difícil a luta dos meninos em categorias de base, tentando ser uma nova promessa, havendo por parte dos clubes um grande investimento.
      Mas e no caso do futebol feminino? Muitas meninas jogam por amor, por serem guerreiras. Estes dias eu estava vendo um jogo da seleção e vi que a formiga, uma jogadora de seleção brasileira estava sem um clube tendo como time a seleção brasileira. Um dos maiores descasos que já vi! Cadê a vontade dos clubes desse país? Que se dizem clubes de futebol, que parecem estar com os olhos voltados apenas para o lucro!
      E se esse é o foco, o futebol feminino pode gerar muitos lucros, pois o brasileiro é apaixonado por futebol. Só precisamos de uma maior visão e confiança de nossos dirigentes de futebol!
      O nosso amor pelo futebol apesar da luta que temos que travar contra o preconceito, tem a lutar contra a falta de visão que temos. E o mais importante é não desanimar apesar de recebermos essas migalhas. Porque eu sei tudo que essas meninas são capazes de jogar! As boleiras que são!!!
      Sorte para nossa seleção que está ai!!!!! Meninas vocês são as guerreiras desse país! Estamos junto com vocês até o fim. E um dia vamos conseguir maior divulgação para nosso futebol arte.
      Recado dedicado a CBF. De uma boleira que sabe a realidade do país do futebol =)

      • Menina da arquibancada 09:34 on 19/06/2011 Permalink | Responder

        Fany, compartilho desse sentimento com você. Muitas coisas precisam mudar (CBF, Federações, clubes…) para futebol feminino do nosso país ganhar aqui a projeção que merece – porque lá fora a seleção femina brasileira tem tanta moral quanto a masculina!! Mas sigo acreditando no talento das jogadoras e na perseverança da comissão técnica e de todos que trabalham pelo futebol feminino. E tento fazer minha parte, divulgando a modalidade aqui neste espaço. Fique à vontade de passar sempre por aqui para deixar seus comentários. Abs.

  • Menina da arquibancada 23:45 on 10/05/2011 Permalink | Responder
    Tags: , , , seleção brasileira,   

    No anonimato, seleção feminina se prepara para Mundial 

    Por FOLHA ONLINE 08/05/2011 15h42

    É ano de Copa do Mundo. O Brasil é um dos grandes favoritos e a seleção já treina na Granja Comary, em Teresópolis (RJ). Mas não há jornalistas nem torcedores acompanhando a preparação da equipe nacional.

    Em 29 de junho, a seleção estreia no Mundial feminino da Alemanha, a sexta edição da competição organizada pela Fifa, contra a Austrália, em Mönchengladbach.

    Mas pouca gente sabe disso. O país que em 2010, na África, parou para ver a seleção de Dunga mal sabe quem é o técnico do time feminino.

    “Em qualquer lugar do mundo, a Copa feminina é encarada como a masculina. Menos no Brasil”, exagerou o técnico Kleiton Lima, 37, ex-treinador do time feminino do Santos, escolhido para dar um novo ar à seleção, com jovens atletas.

    Serão 16 seleções. Da América do Sul, além do Brasil, Colômbia e Argentina também disputarão. Na Europa, em países como Inglaterra, Noruega e a Alemanha, e também nos Estados Unidos, o clima de expectativa em torno das seleções é maior do que no território nacional.

    Em Teresópolis, não poderia haver tranquilidade maior para as atletas brasileiras. O oposto do frisson causado pela torcida com a equipe de Dunga, durante preparação em Curitiba para a Copa do Mundo de 2010.

    “Não dá para comparar. São universos completamente diferentes. Sou realista, o futebol feminino jamais terá o mesmo apelo do masculino. Mas essa camisa amarela sempre dá orgulho a todos.”

    Divisor

    Igualar números e cifras do futebol dos homens, no Brasil, de fato soa como uma batalha inglória para as mulheres. Mas a seleção das meninas caiu um pouco no gosto do brasileiro, motivada pela geração da mundialmente famosa Marta, 25, eleita a melhor do mundo cinco vezes, e esperança do país na Copa.

    Ter a melhor jogadora do mundo e ser uma das favoritas ao título não tem sido, porém, o suficiente para atrair a atenção do público brasileiro. Até agora, Band, Sportv e Esporte Interativo confirmaram que pretendem transmitir as principais partidas.

    Exibições de gala, goleadas, e título do Pan-Americano também ajudaram. Mas falta uma conquista de peso, como Olimpíada ou Copa, para colocar o futebol feminino do Brasil em evidência.

    “Se elas forem campeãs do mundo, a visibilidade aumentará muito. Uma coisa puxa a outra. Investimentos vão surgir, clubes vão se organizar”, prevê Kleiton.
    Elas são as atuais vice- -campeãs olímpicas e mundiais. Perderam as decisões para as seleções dos Estados Unidos e da Alemanha, respectivamente, apesar das campanhas brilhantes.

     
    • André 20:13 on 12/05/2011 Permalink | Responder

      Tamanha é a discrepância entre seleção masculina da feminina que na copa de dunga teve emissora contando os dias para começar aquela competição. Na feminina nem se quer o nome de Marta se ouve. Agora que a copa no Brasil está mais viva do que nunca na mídia aí que as atenções será para a competição masculina mesmo! Segundo o que li, a Argentina não participará dessa edição, sendo apenas dois representantes da CONMEBOL. Com certeza virão bands da vida incentivando o futebol feminino, mas que eles mesmos não se interessam. Realismo quanto ao futebol feminino beira o pessimismo.

      • Menina da arquibancada 18:26 on 14/05/2011 Permalink | Responder

        Infelizmente, vc tem razão, André… o descaso com o futebol feminino é tota: CBF, mídia e até os clubes (inclusive os que investem na modalidade) não dão a devida importância às meninas. Mas tem mta gente trabalhando para mudar esse cenário e tenho certeza que ainda veremos nosso futebol feminino valorizado aqui dentro como ele é no mundo. #esperança

c
Compose new post
j
Next post/Next comment
k
Previous post/Previous comment
r
Responder
e
Editar
o
Show/Hide comments
t
Go to top
l
Go to login
h
Show/Hide help
shift + esc
Cancelar
%d bloggers like this: